quinta-feira, março 2

Havana - Primeiro Dia


Havana é um mundo a parte.
Carros antigos ( classicos Americanos dos anos 50), disputam espaço com carros velhos ( russos, japoneses de mais de 30 anos), num festival de gases toxicos.
Os carros novos ( os poucos que circulam por aqui) são de aluguel e pertencem ao governo – como todo o resto. Pelo menos isso é o que me diz o taxista, que rapidamente completa o raciocínio-
Cuba é o melhor país do mundo. Não há lugar igual. Aqui não há analfabetos. Não ha violência, quer dizer, há muito pouca violência. Não há prostituição ( OI??). Não há jogo.
Todo mundo vai á escola. Todo mundo é educado. Aqui é o melhor lugar do mundo.

Havana is unique.
Classic cars ( American models from the 50s) share the streets with old cars ( European, Asian, over 30 years old). The streets resemble a gas chamber.
A few new cars are visible. They are rentals, and belong to the government, like most things here.
This information came from my taxi driver, who quickly completed -
Cuba is the greatest place on Earth. There is nothing like it.Everyone goes to school. There is no violence, at least not a lot of violence. We have no prostitution ( WHAT?) . No gambling.
This is definately the best place on Earth.

Fachada da Casa Marinque, onde ficamos
Front of the House where we stayed

Chegamos á casa onde ficaremos hospedadas e fomos recebidas pela empregada. Pouco depois, descubro que são três empregadas na casa. Mais um jardineiro e dois rapazes que se revezam á noite, acordados, vendo se os turistas precisam de alguma coisa, se tudo está bem com os hóspedes.
São três quartos de aluguel. A dona da casa era advogada, mas ela me conta que não compensa trabalhar na sua profissão. Há alguns anos o governo permite que se tenham alguns negócioos próprios, com impostos altíssimos, frisa ela, mas muita gente tem optado por essa rota.
Com a sua casa, ela dá emprego a pelo menos outras sete pessoas  e ainda sustenta  a sua familia.

We arrived at the AirBNB where we were going to spend our first 3 nights and the maid welcomed us. Not long after, we find out there are three maids in the house, plus a gardener and two "watchboys"who spend the nigjht awake, making sure everything is ok, everyone is safe and no one needs anything.
The house has three bedrooms for rent. The hostes is a lawyer who decided it was not worth working in her profession and decided to dedicate herself to AirBnB.
A few years ago,  the Cuban government decided to allow locals to have their own businesses - and even with very high taxes, many people chose this route.
Reysa, our hostess, employs another 7 people and supports her family running the hostel.

Corredor que dá para os quartos da casa
Corridor in front of the bedrooms

A casa é na parte Central de Havana. Quarto grande e arejado. O interessante sobre essas casas é a arquitetura delas. A sala é ampla e dela se sai para um corredor aberto, com uma jardineira em toda a sua extensão. Os quartos dão para esse corredor – e no final dele, há a cozinha e um banheiro 
moderno.

Our house is in Central Havana. The bedrooms are big and airy. The arctecture of these houses are very unique.A large living room opens to an open corridor - where you have access to the bedrooms. In the end, the kitchen and a modern bathroom.


O "Jardim" que tem até um jardineiro 

Achei a arquitetura  interessante mas não pensei muito mais nisso.
A fumaceira dos carros atacou a minha asma e eu estava tendo uma certa dificuldade em respirar.
Já eram mais de 3 da tarde quando chegamos á casa. Foi o tempo de um banho para tirar o grude, um cochilo rapido e fomos dar uma caminhada curta.

Queriamos mesmo era encontrar uma internet café, mas não tivemos nenhuma sorte.
Em alguns pontos das ruas, haviam muitas pessoas sentadas, conectadas á internet, mas nossos telefoens não conseguiam conexão.

Só depois soubemos que não existe internet livre no país. Há alguns pontos de wi fi, mas você precisa ter o cartão da internet do governo ( 2 CUC por hora).

Depois um taxi ao Centro Velho de Havana para uma espiadinha na cidade e fomos a um hotel para nos conectar e avisar todo mundo que estavamos sãs e salvas . E que por favor não esperassem muito contato. Encontrar internet aqui é uma saga.

All the smoke on the streets made it hard for me to breathe.
It was already 3 pm when we reached our Hostel. We had a quick shower, a nap and we decided to go for a walk.
The plan was to find an internet café and call or e mail our families.
In some points, we saw many people sitting on benches. using their phones. We tried to conect to wi fi with no sucess.
Much later, we found out Cuba does not have internet readily available.
There are  a few points of wi fi and you need to buy a government card with a password to access it.
The conection is poor and hard to find.
We got into IberoStar - our internet refuge for the next few days, contacted our families, told them we were fine and made sure to explain we could go without contacting them for many days to come...
Holly was excited and we walked quite a bit through the streets of Old Havana.

terça-feira, fevereiro 28

CUBA



Havana – Primeiras impressões

Depois de um pinga pinga desumano ( Phoenix – Denver – Tampa _ Fort Lauderdale) , chegamos a Havana.
O aeroporto parecia saido de um filme antigo e assim que desembarcamos, passamos pelo raio X – para ter certeza que a Policia Federal Americana não deixou passar nenhum artigo proibido.
Pegamos nossas malas e fomos trocar nossos preciosos dolares por CUC – a moeda para estrangeiros em Cuba.
Um policial me abordou na fila
- Que moeda você traz?
-          -Dolares
-          -Então é naquela fila
Vi uma movimentação estranha – chama um, chama outro, ai vem uma mocinha com um uniforme que não consegui identificar e se prontificou a fazer a transação ali, no meio do saguão do aeroporto.
Foi o nosso primeiro contato com os negócios não oficiais de Cuba.
Agradeci e voltei para a fila do cambio official do governo. Durante toda a minha espera, a menina dizia sorrindo 
–  Venha. Eu te pago mais que eles.
Simpática e insistente, ela sorria e me chamava para a troca.
Como sou muito desconfiada, fiz a troca official. 100 dolares – 86 CUC. Isso mesmo, dolares Americanos tem uma taxa extra de 10% sobre a conversão. A viagem vai ser mais cara do que esperávamos!

Entramos num taxi ( um LADA 86 caindo aos pedaços ) e começamos a nossa jornada .


Havana - First Impressions

After an inhumane trip ( Phoenix - Denver - Tampa - Fort Lauderdale), I finally got to Havana.
The airport reminded me of those old movies. Out of the plane, off to the X Ray tyo make sure you did not bring anything you shouldn't. The suitcases arrived a little while later and all we had to do was exchange money and get on our way...
A policeman aproached me at the Money Exchange line and asked what currency I would like to exchange.
- American Dollars
He pointed me to another place and said it was there.
When I arrived where he pointed, i saw a different routine. people going in and out of a small room. No booths, no signs. Then a woman in an uniform I could not really identify ( a nurse, maybe?) offered to exchange our money right there, in the middle of the airport .
I politely declined and went back to the official booth.
Holly was confused on how a policeman could be offering us to trade money on the black market, right in front of everyone's eyes.
Being Brazilian, I opted for the safe route - $ 100 dollars for $ 86 CUC, the Cuban money for tourists. American Dollars have an extra 10% added to the bill...to pay for all the suffering Cuba endured with the block in the last 60 years.
We got some local currency, got into a taxi ( A russian Lada 86, falling apart) - and off we went to town. Our journey was about to start.



quinta-feira, agosto 18

Vestidinho de gato / little cat dress

Eu tenho um vestido de malha delicioso, que tem uns gatinhos desenhados e eu ando com ele prá baixo e prá cima.
Outro dia eu estava na casa de uma amiga e ela dissealguma coisa sobre eu ter ido á cada dela de pijamas. Como eu já fiz isso várias vezes, a ficha demorou a cair...ela estava falando do meu vestido de gatos.
Eu estava num dia "sim", e deixei prá lá.
Uns dias depois combinamos de ir ao supermercado á noite e como eu estava com o tal vestido, resolvi não trocar de roupa. Meti um chinelo nos pés e fui embora.
Quando ela me viu, fez logo aquela cara de  "mas vc vai ao supermercado de pijamas?".
Antes que ela pudesse dizer alguma coisa, eu desfiei o verbo :
- Nem fala nada. O meu "pijama"é na verdade um vestido que eu comprei em Paris ( não disse que ele provavelmente foi feito na China, como tudo, hoje em dia...). Lindo. Todo mundo elogia quando eu saio com ele...bla bla bla
Eu estava num dia "não".
Holly, que é sempre educadissima, disse que aqui nos Estados Unidos, todo mundo ia achar que eu estava de pijamas.
Me fingi de surda e fomos fazer compras.
Na saída da loja, a mocinha do caixa :
- Você é Francesa?
Eu só olhei para a Holly e caí na risada. Acho que ela se enganou quando disse que todo mundo ia achar que eu estava usando pijamas. HA!!


I have this cute dress with a cat stamp in front. It's comfy and I find it super fun to wear, so recently it became my dress for all ocasions.
Another day I was at a friends house and she made a comment about me wearing pajamas to go places. I did not immediately  click she was referring to my cat dress and as I was in a "YES' day, I let it slide.
Yesterday we decided to go out grocery shopping together and when she saw me wearing the dress, I realized what was going on her mind - not in your pajamas, Inaie...
So I quickly said -
- Well, this "pajamas"are actually a very cool, fashion dress I bought in Paris. It's fun, it's comfortable and it's awesome...
I was in a "NO" day.
Holly is always charming and polite, her answer was simply 
- Oh well, here in America everyone will think you are wearing pajamas.
Off we went shopping. When we were getting out of the store, the cashier asked me 
- Are you French?
 All I could do was look at Holly and laugh. Actually I am still laughing... Maybe some Americans will not think I am wearing pajamas, after all...



domingo, junho 12

Mais um! Another one.




Hoje, dia dos namorados, acordei com beijos e cafunés, mas a minha alegria durou pouco.
A primeira coisa que o Fabio me contou foi sobre o massacre de Orlando.
50 pessoas foram mortas numa boate gay. Outros 50 estão feridos.
Por diferenças, ideológicas, religiosas ou morais, alguém se achou no direito de julgar e condenar essas pessoas á morte.
Pelo que contam, esse cara viu dois homens se beijando em público e ficou revoltado. Dois meses depois, ele entra numa boate onde as pessoas estão dançando, rindo, namorando e mete bala em todo mundo.
Não vou nem entrar no mérito da questão. Há uma insinuação intrinsica de que a "culpa"foi do casal que se beijou na frente do maluco. 
Meu estomago está embrulhado, meus olhos cheios de lágrimas.
Eu fico enojada em viver em um  mundo de intolerancia, de desrespeito e preconceito.
Um mundo onde a vitioma de estupro é questionada sobre suas roupas e seu comportamento. Onde homossexuais tem medo de sair nas ruas. Onde alguns extremistas se acham no direito de atacar quem tenha outras crenças religiosas. 
Não quero viver num mundo one os massacres são uma banalidade. Só mais uma pessoa que decide abrir fogo contra uns ou outros.
Uma hora dessas nós vamos ter que entender que só há uma saída. Aceitar as diferenças. Abraçar o desconhecido e mudar as coisas lá na raiz. Ensinar as crianças que você aprende com o outro, e se vocês forem iguais, haverá muito pouca troca, muito pouco a se esinar.

A mudança é para agora!! Você está fazendo a sua parte?

I wake up and the first thing I hear is about the massacre in Orlando. 50 people killed. Another 50 injured by a man who walked into a night club and opened fire.
His father said it was triggered by two men kissing in public a few months early. That seemed to have upset his son, who then retaliated shooting people who were out, having fun. Dancing, Laughing. Playing.
I feel sick.
I feel sick living in a world of intolerance, disrespect and false morals , where people think they are better than others. In a world where some people think they can be judge, jury and executor. When some believe they have the right to decide who lives and who dies. Where being different is a crime.
My heart is broken. Irreparably broken for living in a place where the rape victim is questioned about her clothes and behavior, where homosexuals need to constantly fear for their safety, where religious beliefs can trigger a shooter and race can determine your faith in life.
This is not the world I want to leave for my girls. This is not the world I want to live in.
When will we realize things need to change?
NOW! We need to change. We need to do something now.
What have YOU done to improve this world where we all live?
Do you recycle? Save water? Take reusable bags to the supermarket?
Well, I am afraid to say that's not enough. Not nearly enough!
We need to stand by the minorities side. Fight against discrimination, homophobia and prejudice. We need to do something - and we need to do it NOW!

sábado, março 12

Intoxicação alimentar / Food Poisoning

 
 
Fui ao Blue Wasabi ontem e tive uma intoxicação alimentar. Quando liguei lá para reclamar, a mocinha me disse que o menu especificamente diz que comida crua pode dar intoxicação.
Ela não gostou muito quando eu disse que ela poderia continuar essa conversa com o meu advogado...
O gerente veio. Pediu desculpas. Disse que vai checar as datas na cozinha, vai fazer uma nota dizendo que eu liguei. E já ia se despedindo quando eu disse que queria o meu dinheiro ...
de volta.
- Ahhh isso eu não posso fazer. Você tem que falar com o dono do estabelecimento...
Ai gente, que gracinha tudo isso!!!!



I went to Blue Wasabi yesterday and had the Salmon salad, beef and brocoli and the tempura.
I got food poisoning and spent the evening throwing up.
When I called the restaurant to let them know, the hostess told me there is adisclaimer on their menu, and its ays raw food can cause food poisoning... Charming!!
When I said she could continue the conversation with my lawyer, she called the manager who apologised, told me he was going to make a note, check th...
e kitchen and keep an eye on it. He was bidding hios fareweels when I said I wanted my money refunded.
- Ohhh... I can't do that. You need to talk to the owner.

WOW!! I am not asking to be compensated for the inconvenience. I am not asking them to pay for my meds. Or the time I wasted being sick after eating their food,
All I asked was not to be charged for the food that made me sick. And I could not get a straight answer... I am NOT IMPRESSED.

segunda-feira, março 7

Sonho de verão





Essa noite eu sonhei que estava com uma espinha no nariz. Há 30 anos não tenho espinhas, mas o sonho foi tão real, tão "vivo" que eu tinha certeza que ela ia estar lá quandoe u fosse me olhar no espelho.
Resumo do sonho - eu tinha uma espinha no nariz. Fim
Não teve enredo, não teve emoção, não teve ação. Éramos eu e a espinha.
Preciso conversar com o Dr Jung.

I had the strangest dream tonight.
I had a pimple on my nose. That was the whole dream. me and a pimple on my nose. A simple pimple.
No story, no feelings, just em and the pimple. A pimple so real I thought it would be there when I woke up and looked in the mirror.

I need a session with Dr Jung.

segunda-feira, setembro 28

Tabefe no cozinheiro / My first cook





A inspeção sanitária veio fazer sua primeira visita e tudo is muito bem. Estávamos recebendo muitos elogios...
De repente o cara vê um copo de café. Sem tampa. Na cozinha.
Infração feia.
Quando eu vejo o dito copo, nem penso, fecho a mão e tasco um murro no braço do cozinheiro, que olha pra mim com a cara mais assustada do mundo.
O inspetor imediatamente diz que não vai nos marcar, que está tudo em ordem, que é só a gente não fazer mais isso.
Não sei se ele ficou com medo que eu espancasse o cozinheiro quando ele fosse embora, ou se era só medo de levar uns tapas também.
Ganho meu A e o ionspetor vai embora.
O cozinheiro, um Mexicano grandão me fala -
- Você sabe que aquele café não é meu, né? É do treinador da franquia que está ajudando aqui essa semana.
- O café pode até não ser seu. Mas a cozinha é sua responsabilidade, portanto o tabefe foi merecido!

( e eu ia dizer o que???)


The health inspector came for the first visit afetr we opened the business and everything was going super well.
We received lots of compliments...until he saw an open cup of coffee on the bench. Serious violation.
My heart skip a beat and as a reflex I clinched my fist and hit the cook.
The cook - a big Mexican guy, just stared at me. I don;t think he believed what just happened.
I look at the inspector who quickly says -
I won't mark you down. Just don;t do it again.
I am not sure if he thought I would hit the cook harder after he left, or if he would be the next victim.
The inspector left, we got our A and the cook -
- You know that's not my coffee. It belongs to the guy from Corporate who is here helping us open...
- It may not be your coffee. But the kitchen is your responsibility, so you deserved the punch...

( what was I supposed to say?)